terça-feira, novembro 14, 2006

Obrigado...

Obrigado pelo silêncio.

Obrigado pela dor.

Obrigado pela ausência.

Obrigado pelo rancor.

Obrigado pela transparência,

pela inocência e pela capacidade ridícula do amor.

Obrigado pelas memórias fartas.

Obrigado pelas recordações interditas... banidas... sofridas.

Obrigado pelo momento sentido.

Obrigado pelo sentimento esquecido.

Obrigado por não ter passado.

Obrigado por não ter esquecido.

Obrigado por ter chorado.

Obrigado por não conseguir... diluir-te.

Obrigado pelo teu nome na minha vida.

Obrigado por doer-me no peito.

Obrigado pela passagem,

da autenticidade à banalidade.

Obrigado pela distância.

Obrigado pelo fingimento.

Obrigado pelo pesadelo.

Obrigado pelo pedaço... resto de vida.

Obrigado pela insatisfação.

Obrigado pela cobardia.

Obrigado pela desilusão.

Obrigado pela mágoa... com magia.

Obrigado por tudo... pelo tanto e nada que és.

Obrigado pela certeza.

Obrigado pela impossibilidade.

Obrigado pelo vazio.

Obrigado pela consciência do estúpido.

Obrigado pela raiva.

Obrigado pela apatia.

Obrigado pelo desperdício.

Obrigado pelo precipício... que me deixas.

Obrigado por não saber.

Obrigado por apesar de tudo não adivinhar.

Obrigado por não estares, não ajudares, não falares, não te preocupares, não mostrares.

Obrigado pela falta de sentido.

Obrigado por me deixares.

A mim, com os meus sentidos agora vencidos,

Obrigado...

Obrigado por me perderes... para sempre.





2 Comentários:

Às quarta-feira, dezembro 06, 2006 10:59:00 da manhã , Blogger *Nádia Alexandra* disse...

Esse "obrigado" por alguém te ter perdido é verdadeiro ou irónico miguito?!

 
Às sexta-feira, dezembro 08, 2006 8:10:00 da tarde , Blogger Gabriel disse...

Digamos que a parte do "obrigado" foi uma forma muito irónica de dizer algo muito verdadeiro.

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial